jump to navigation

Profissionais de saúde, nós temos medo setembro 7, 2010

Posted by o2 in Tecnologia.
Tags: , , ,
4 comments

Você já precisou fazer ou acompanhar alguém em uma ressonância magnética?  Bem, hoje eu passei por uma experiência assustadora. Mas no final fiquei em dúvida se o problema é porque a clínica é muito nova ou porque é tudo desse jeito mesmo.

O que já começou a me assustar foi a clínica ter começado perguntando se em caso de necessidade eu autorizava a aplicação na veia de um determinado corante. Corante?! Na veia?! Isso assusta, viu! E se é preciso pedir minha autorização é porque há risco considerável no procedimento.

Segundo e pior momento. Nos deixa a sós (eu e meu filho que era quem estava sendo examinado) numa sala muito fria, com o moleque dentro de um aparelho enorme, que faz um barulho insuportável. Ninguém perguntou se já conhecíamos o exame. Ninguém se preocupou em nos preparar minimamente para o que viria. E o que mais incomodou, ninguém ficou conosco lá dentro.

É um exame demorado, logo após os 10 primeiros minutos não guentei mais de medo e pedi para o meu filho chamar a enfermeira pelo dispositivo que eles entregam para este fim. Dái é que fui explicado que ainda teria mais 20 minus de exame e que o barulho era normal. Só então me foi dado um abafador que tranquilizou um pouco mais o som. Mas ficam a péssima experiência e os questionamentos.

Por que ninguém pode ficar conosco na sala do exame? Acho que para marinheiros de primeira viagem ficar sozinhos frente àquele aparelho e sua produção sonora é assustador. Entretanto, que a tecnologia ainda esteja num ponto que seu desempenho assuste é perfeitamente compreensĩvel. Oq eu não é compreensĩvel é que a pessoa não seja preparada para esse  momento, com a máxima atenção e preocauções necessárias.

E  você ? Tem alguma experiência nesse sentido? Conta pra gente aí que é pra irmos mudando esse jogo devagarinho.

Reunamos, a internet a favor dos portadores de necessidades especiais maio 20, 2010

Posted by João Carlos Caribé in cidadania, Tecnologia, Voluntariado.
Tags: , , , , , , , , , , , ,
add a comment

Quem não lembra do Jorge Carcavallo Picho, o diretor dos projetos de realidade virtual e inteligência artificial como Webbie Tookay, a primeira modelo virtual do mundo (julho 1999) e Sete Zoom, a ferramenta de inteligência artificial criada em 2001 por Ogilvy para Unilever Brasil. Jorge fechou a Davinci New Media e voltou para Buenos Aires, e surge agora com um fantástico mega projeto que será realizado simultaneamente em 195 países, para facilitar a vida de portadores de necessidades especiais, trata-se do projeto Reunamos.

REUNAMOS é um empreendimento sustentável de comunicação inovadora e interação com fim social. Resultado de uma pesquisa de mais de 6 anos. Tem por objetivo transformar significativamente a dramática e injustificável situação em que se encontram todas as pessoas com discapacidade (portadoras de necessidades especiais), através de inovadoras ferramentas de comunicação e informação desenvolvidas de forma coletiva, utilizando a vanguarda em conceitos e tecnologias. As propostas de interação  buscam integrar plenamente toda a comunidade relacionada com a discapacidade.

REUNAMOS tem por objetivo, por exemplo, que a pessoa que enfrenta uma discapacidade em si mesma ou em alguém próximo, ao colocar somente alguns dados pessoais e o diagnóstico, tenha IMEDIATAMENTE TODAS as informações atualizadas que necessita sobre assistências tecnológicas, temas legais, saúde, trabalho, educação, arquitetura, organizações sociais e voluntários, entretenimento, etc a nível local, nacional e internacional.

Um inovador serviço centrado no usuário e não na informação, onde a pessoa recebe todo o conhecimento disponível e não tem que, em meio ao choque, pesquisar dentre informações dispersas, e muitas vezes em diversos idiomas.

“Parece incrível que em 2010, em pleno século 21 e terceiro milênio, todos os días milhões de mães dediquem muitíssimas horas em peregrinações físicas e virtuais buscando alguma informação que as ajude a que seus filhos superem os sofrimentos de suas discapacidades. Assim como eu fiz, muitas chegam a se passar por estudantes de medicina para frequentar bibliotecas especializadas e até conferências internacionais.” Afirma Cris Posada uma das Parceiras Fundadoras de REUNAMOS.

O projeto, que utiliza o conceito Rumo ao TriCentenário, está sendo desenvolvido no marco dos Bicentenários da Argentina (2010-2016) e de outros países das Américas; o Decênio das Américas pelos Direitos e Dignidade das Pessoas com Discapacidade (2006-2016) e a Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Discapacidade das Nações Unidas, entre outros.

Em plena Era da Informação e do Conhecimento, a falta ou dificuldade de acesso ao Conhecimento e aos recursos disponíveis para superar e/ou minimizar suas discapacidades e continuar suas vidas é uma das principais causas porque mais de 80% dos seres humanos com discapacidades ainda CAEM  por debaixo da linha da pobreza e indigência.

“Quantos Stephen Hawking a Humanidade está perdendo? As tecnologias solidárias e as assistências tecnológicas serão as grandes contribuições  para o bem da Humanidade no Século 21 e no Terceiro Milênio.” Disse o reconhecido especialista Rafael Kohanoff.

O sistema e base de dados serão oferecidos como Patrimônio Mundial da Humanidade, uma vez que serão desenvolvidos por especialistas de 195 países e terão os dados atuais e da evolução de mais de 650.000.000 de seres humanos.

“…Temos os  conhecimentos, existem os recursos, só precisamos de determinação e persistência…” comenta Jorge Carcavallo Picho, diretor do projeto – especialista em comunicação inovadora com mais de 30 anos de experiência.

Entre 1990-1995 ajudou a criar e desenvolver os mercados HOME-SOHO no Brasil, um dos pilares da internet atual. Até 2001 dirigiu projetos interativos que foram relatados em mais de 700 reportagens em 30 países, incluindo a revista Wired e a The Tech del MIT. Está voltando ao mercado TICs depois de uma investigação de 9 anos no setor social para analisar os principais desafios e potenciais soluções. É membro e fundador de diversas redes de organizações locais, nacionais e internacionais que trabalham em temas relacionados a novas formas de comunicação, meio-ambiente, desenvolvimento sustentável, discapacidade e educação para a cultura de paz.

A tecnologia atual e a que está sendo desenvolvida podem e devem ser usadas prioritariamente para os mais necessitados.
Estima-se que 2 por cento da população mundial sofre de alguma discapacidade devido a lesões produzidas por algum acidente. Só na Argentina, cerca de 15.000 pessoas por ano ficam com alguma discapacidade permanente, como conseqüência de acidentes de trânsito.

650.000.000 de seres humanos no mundo tem alguma discapacidade, de acordo com dados das Nações Unidas; 80.000.000 deles vivem nas Américas, segundo dados das OEA; Mais de 2.000.000 na Argentina tem alguma discapacidade, habitando 1 entre cada 5 lares.

Isto seriam só estatísticas mundiais, continentais e locais, se não fosse o fato de que mais de 80% de todos eles ainda CAEM por debaixo da linha da pobreza e da indigência. Este sofrimento evitável chega a afetar mais de metade da humanidade, uma vez que dificuldades superáveis alcançam suas famílias, inclusive obrigando-as a mudar de cidade ou país.

Se 1 de cada 10 no mundo tem alguma discapacidade, 9 de cada 10 somos afetados e responsáveis porque eles são nossos familiares, amigos, vizinhos, companheiros de estudos e trabalho. É com este grupo de pessoas que REUNAMOS trabalhará para otimizar ao máximo a qualidade de vida das pessoas com discapacidade.

21 minutos que mudarão sua vida novembro 15, 2009

Posted by João Carlos Caribé in cidadania, Ecologia, Educacao, Saude, Tecnologia, Voluntariado.
Tags: , , , , ,
4 comments

Não é nenhum post de auto-ajuda, e nem uma fórmula milagrosa para emagrecer ou ganhar dinheiro, trata-se de coisa muito mais importante, trata-se da nossa vida. Eu disse 21 minutos porque é a duração do documentário “A história das Coisas” que mostra com clareza as mazelas da sociedade de consumo e como estamos consumindo o mundo e sacrificando o próximo para suprir esta necessidade patológica.

 

Cancelar SMS do 46969 – ClubKdVc agosto 25, 2009

Posted by o2 in Defesa do consumidor.
Tags:
1.073 comments

Tem uma picaretagem com SMS por aí, que está associada de alguma forma com downloads e que passa a enviar mensagens de um número 46969 para seu celular.  No caso desse ClubKdVc, mensagenzinhas de propostas de encontros e talz.

Por  que eu chamo de picaretagem?

Porque o cidadão pode até assinar por engano um serviço destes, mas, as vias de cancelamento tem que ser claras e de fácil acesso.

Só que é justamente aí que está o truque.  O lance é extremamente ensaboado para cancelar. Quando você descobre a forma de cancelar, ou seja, enviando uma mensagem como o texto SAIR para o número 46969, então tem que enfrentar uma série de artifícios enganatórios e passar por vários envios de mensagem até finalmente conseguir o cancelamento. O principal artifício dos PICARETAS tem a ver com os caracteres e a grafia “incorreta” dos comandos. Se a coisa não vai com a disposição dos caracteres de forma milimetricamente correta, o que não é simples de entender logo de cara (ou porque eles confundem, ou porque está programado para ser aleatório ou o que quer que seja), então você fica recebendo mensagens truncadas, dando a entender que fez contato com algum outro participante do sistema ou que você já tinha conseguido cancelar o serviço mas que, por algum motivo, estava havendo uma desistência do cancelamento.

Ví em algumas mensagens de fóruns que isto chega a ser cobrado de quem está recebendo as mensagens.  Mas, não posso confirmar.

Como CANCELAR

Como existe a PICARETAGEM, não posso garantir que vai funcionar com você a sequência que vou colocar aqui. É só uma intuição. Lá vai:

a) Enviar Mensagem como texto SAIR para o 46969;

b) Ao receber a mensagem de que  está cadastrado no serviço ClubKdVc e que dever enviar a mensagem com SAIR+ClubKdVc ou SAIR+TODOS, envie outra mensagem para o 46969 com o texto SAIR TODOS (exatamente desta forma, com um espaço entre o SAIR e o TODOS).

c) Depois disso você precisa receber uma mensagem informando que o ClubKdVc foi cancelado.

d) Depois, se quiser, conta pra gente aqui como foi o seu caso, que é para a ajuda se tornar mais rica e acessível por outras pessoas.

Abraços

Ato Contra o AI5 digital no Rio junho 28, 2009

Posted by João Carlos Caribé in cidadania, politica, Tecnologia, Voluntariado.
Tags: , , , , , ,
1 comment so far

O Xô Censura convida a todos. Acompanhe o ato no Mega Não, fique ligado

* Contra o Projeto de Lei do Senador Azeredo
* Em defesa da liberdade e privacidade na Internet
* Pelo livre compartilhamento e troca de arquivos

O Rio vai dizer um Mega Não!

Dia 01 de julho – 18 horas
Auditório da Associação Brasileira de Imprensa – ABI

R. Araújo Porto Alegre, 71 – Centro – Rio de Janeiro – RJ

ai-5-rio

Apoio:

Deputado Estadual Alessandro Molon
Deputado Federal Jorge Bittar (licenciado)
Deputado Federal Paulo Teixeira

Convocatória:

Associação Brasileira de Centros de Inclusão Digital – ABCID
Associação Brasileira de Imprensa – ABI
Central Única dos Trabalhadores – CUT
Centro de Ação e Comunicação Comunitária – CENACOC
Coletivo Ciberativismo
Coletivo Digital
Coletivo Intervozes
Conselho Regional de Engenharia do RJ – CREA-RJ
MegaNão!
Projeto Software Livre – Brasil
Setorial de TI do PT do RJ
Sindicato dos Bancários do Rio de Janeiro
Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro – Sintufrj
Sindicato dos Servidores das Justiças Federais no Estado do RJ – Sisejufe
União Estadual dos Estudantes – UEE – RJ
União Nacional dos Estudantes – UNE

Ato contra o AI-5 digital maio 8, 2009

Posted by João Carlos Caribé in cidadania, Palavras ao vento, politica.
Tags: ,
1 comment so far

ato-contraai5digital

Acompanhe todas as novidades no Mega Não ! O blog do Meta manifesto. Esta postagem é parte do movimento contra o AI-5 Digital.

Sustentabilidade insustentável março 31, 2009

Posted by João Carlos Caribé in Ecologia, Palavras ao vento, Ponto de vista, Tecnologia.
Tags: , ,
4 comments

Publicado originalmente no blog Trezentos

Acabamos de passar pelo evento a Hora do Planeta organizado pela WWF, a proposta era apagar a luz da sala por uma hora, das 20:30 às 21:30. Pouco antes o twitter “bombou” com a tag #horadoplaneta, uma profusão totalmente entrópica de frases e sacadas diversas, eu mesmo entrei na onda sugerindo:

Hora do Planeta

A brincadeira continuou, diversos “twitts” sérios, e brincalhões surgiram, alguns fizeram justamente o contrário, disseram que muitos morreriam nas UTIs, que as luzes das teclas Caps Lock, Scroll Lock e Num Lock estavam apagadas e por ai vai. Isto é perfeitamente natural. Quando organizamos (ciberativistas)  o FlashMob em São Paulo foi a mesma coisa, muitos twitts sérios e muita gozação. Como publicitário posso dizer que é assim mesmo, a propagação da mensagem em mídias sociais tem muito do efeito borboleta, trabalha-se a percepção e ai torna-se hype, meme….

Mas meu post não é sobre publicidade, e sim sobre sustentabilidade, e o que vou falar agora certamente não vai agradar muita gente, mas acreditem ou não, não será o fundo preto que na verdade não economiza energia nenhuma, e nem a hora do planeta ou coisas assim que salvarão o mundo. Na verdade o somatório de poucas atitudes podem sim, fazer a diferença, mas na prática, pegando carona no post da Maira, acredito que pouquissimas pessoas estão de fato se empenhando para tornar um mundo sustentável, são estes louvaveis e respeitados quixotes na luta contra a extinção da espécie humana.

Acredito muito que uma pequena atitude pode fazer a diferença, e ela não pode ser minimizada ou hostilizada, mas é que na verdade, em se tratando de vida sustentável somos quase todos hipócritas e egoistas. Ao mesmo tempo em que nos tornamos verdes, continuamos agindo como se o mundo fosse um gigantesco shopping, continuamos consumindo compulsivamente, neste ritmo consumiremos em breve o planeta.

Para salvar o mundo, temos de mudar profundamente nosso estilo de vida, repensar o capitalismo, o consumo e até mesmo nossas vidas, que são consumidas diariamente na ardua de tarefa, que irônicamente se chama “ganhar a vida”, na verdade estamos vendendo a vida para consumir o planeta. Teremos de aprender a viver em coletividade, abandonar a privacidade do automóvel particular, eliminar o consumo de bens não recicláveis, adotar a cultura de otimização extrema de energia, teremos de abrir mão do conforto das lindas e práticas embalagens que adornam nossos mimos, teremos até mesmo de pensar no modelo de moradia, quem sabe o velho modelo de casa da familia onde gerações convivem sob o mesmo teto não seja uma solução? Temos de parar de usar combustiveis fósseis, temos de parar já com a idéia arriscada de extrair metano do fundo do mar.

Temos hoje em dia a tecnologia a nosso favor, a Internet esta ai conectando todo mundo, vamos interagir mais virtualmente, vamos lançar mão da digitalização de bens, vamos “teletrabalhar” mais, vamos repensar nossos espaços de estudo e de trabalho, vamos pensar que o deslocamento diario precisa ser minimizado, vamos invadir as ruas de bicicleta, além de fazer bem a saúde faz bem ao planeta.

Por fim, salvar o planeta pode ser uma verdadeira revolução em nossas vidas, mas temos de deixar de ser egoistas, temos de pensar coletivo, agir coletivo, antes que o próximo cataclisma venha nos ensinar…

Livro didático, a extorsão nossa de cada ano janeiro 31, 2009

Posted by João Carlos Caribé in cidadania, Defesa do consumidor, Ecologia, Educacao, fobia tecnológica, Palavras ao vento, Ponto de vista, Tecnologia.
Tags: , ,
9 comments

Livros didaticos

Acredite ou não, nesta foto tem R$ 691,95 em livros didáticos, ou para ser mais preciso, ainda faltam três livros paradidaticos e três apostilas, mas em suma, R$ 691,95 por um conjunto de livros do nono ano (antiga oitava série) é no mínimo um roubo. Se dividirmos o preço total dos livros pela quantidade de livros, que são 15, temos que o livro médio custa R$ 46,15. Considerando os preços extorsivos dos livros no Brasil, R$ 46,15 é quanto custa em média bons bestsellers de negócios.

Por mais que as editoras argumentem, pode ser baixa tiragem, pode ser o que for, mas uma coisa é certa, a taxa de encalhe é nula ou próxima disto, todos os livros produzidos são vendidos, pois os pais, reféns da indicação do livro pela escola, são obrigados a compra-los. Livros estes que em geral, apesar da impressão em cores, são de baixa qualidade e em sua maioria descartáveis, não servem para um outro aluno no ano seguinte.

Na prática, nós pais, somos vitimas, reféns ou trouxas mesmo. No modelo jurássico de educação que vivemos, onde livros didáticos são escolhidos por coordenadores, e professores atuam como meros interpretes do plano de aula do autor do livro, não poderia ser diferente. Sem contar que o livro didático é protegido por direitos autorais, o que na prática não protege o autor coisa nenhuma, apenas garante os lucros absurdos do editor. Pois a unica forma de escapar deste custo extorsivo seria  utilizar livros de um colega que ja esta mais adiantado. “Deus me livre de meu filho usar livro dos outros”, falam alguns pais como se isto fosse a pior coisa do mundo, trouxa eles. Mas temos de adimitir, a industria de livros didáticos é uma verdadeira máfia, somos extorquidos todos os anos.

A luz no fim do túnel pode estar em algumas hipóteses:

  1. Reformulação do modelo educacional, onde o professor passe de supremo detentor do conhecimento para mentor do auto-ditatismo. Desta forma os livros didáticos seriam totalmente dispensáveis e/ou os alunos teriam a liberdade de consultar a fonte que estiver disponível e/ou desejar.
  2. Livros didáticos em creative commons, é uma tendência, muitas obras de grande qualidade estão em creative commons, são músicas, videos, imagens, livros e um monte de obras culturais em creative commons. A adoção deste modelo significa uma ruptura com o modelo de negócios que “comercializa a cultura”. Este modelo poderia ser em forma de livros e até mesmo em forma de Wikis, como a Wikipedia. Para isto precisamos deixar de demonizar a tecnologia.
  3. Eco-livros digitais livres – Estes seriam na verdade uma variação do item anterior, seriam como livres open source, que as escolas poderiam obter uma licenca única e replicar para seus alunos. Eco-livros seriam livros ou software com objetivo didático, como as enciclopedias digitais, com a vantagem de serem ecológicos e reaprovetaveis. Poderia ate receber upgrade automatico via web.

Estas são algumas hipoteses, quem sabe não apareçe um grupo de educadores para colocar a ideia do livro didatico livre em prática, provavelmente um projeto destes, colaborativo, produzirá um produto muito melhor, com a conjunção de ideias e pontos de vista dispares, um produto muito mais consistente.

Por fim, como na cultura livre, o conhecimento pertence à humanidade.

UPDATE 23:00 – Coincidência ou não, o @dpadua Twittou um site sobre uma iniciativa de livros didáticos livres.

AIDS e terceira idade dezembro 1, 2008

Posted by João Carlos Caribé in cidadania, Ponto de vista, Voluntariado.
Tags: , ,
3 comments

A mídia vem noticiando a ascensão de um novo grupo de vitimas da AIDS, um novo tipo de vitima que surgiu graças aos novos medicamentos contra a impotência, um grupo que estava fora do alcance da AIDS por causa da disfunção eréctil. Estou falando de homens heterossexuais com idade superior a cinqüenta anos.

Para esta geração, a “ficha” da AIDS ainda não caiu, é a geração da revolução sexual, da era hippie, da geração Woodstock, uma turma onde sexo livre não era sinônimo de DSTs mortais como a AIDS. Uma geração onde esta cultura sedimentou e que ainda não acordou para os riscos da AIDS.

O pior é que estes homens que agora se sentem mais viris em função das milagrosas pilulas contra a impotência, resolveram “tirar o atrazo” e acabam trazendo a doença para dentro de casa, contaminando a sua parceira de longos anos, proporcionando um drama que a idade avançada havia banido de suas vidas.

Pior do que ouvir que o vovô esta com AIDS é saber que a vovó também está, será que é o novo destino da terceira idade?

Acho que já passou da hora de acordarmos para este novo drama, e educarmos nossos pais e avós a respeito do sexo seguro, é hora da midia se engajar em novas campanhas para o “novo público alvo” da AIDS que se perpetua graças a ignorância.

Este post é uma resposta à convocação da Lu Freitas, para o dia da blogagem coletiva na luta contra a Aids,

Oi… Oi!… Oi pô! Tá surda é? outubro 2, 2008

Posted by João Carlos Caribé in Defesa do consumidor, Ponto de vista.
Tags: , , , ,
2 comments

A unanimidade é burra, o monopólio também emburrece. A Oi, queridinha do Lulla, esta para se tornar um grande monopolio das comunicações com a fusão com a BrT, e ai é que mora o problema, desculpe a franqueza, tirem as crianças da tela, mas estamos fudidos!

Quem mora no Rio, deve lembrar da extinta Telerj, um exemplo de como não deve ser uma cia telefônica, com a privatização das Teles, diversas empresas assumiram diversas regiões e as metas da ANATEL, deram um upgrade no nosso sistema telefônico. Na época em que as coisas eram dificeis, eu comprei uma linha telefônica para meu escritório em 98 pela bagatela de R$ 4.500,00, mas um ano antes vendi meu celular prefixo 984 por um pouco mais R$ 4.800,00, de forma que fiquei no lucro. Isto é para você ver como era o mercado de telefonia, pouco menos de 10 anos atrás.

A Telerj virou Telemar, e depois de ser campeã em reclamações no PROCON, adotou o simpático nome de sua operadora de celular, a Oi. Não sei ainda quanto tempo a marca Oi ira ficar imaculada, se é que ainda esteja, afinal eles vem se empenhando muito para queimar o próprio filme.

Confesso que estava satisfeito com a Oi, até agora, ja havia lido o post do Orlando sobre o Velox, e percebi que a coisa esta ficando feia, mas ainda não havia sido atingido pela “Oincompetência”. Mas isto mudou!

Aqui em casa todos temos celular da Oi, todos pré pagos, afinal temos a promoção Ligadores, que nos garante dez vezes o valor dos créditos e com R$ 20,00 para cada um da para falar o mês todo. Como de costume colocamos os créditos do meu filho, e em seguida ele fez algumas ligações e constatou que os créditos bonus não foram colocados, e que em poucas ligações ja havia gasto mais de R$ 10,00. Bom deve ter sido algum problema penso eu, e tentamos ligar para o *144 da Oi Móvel, ocupado direto, de qualquer celular Oi a mesma coisa, em qualquer tempo, desde as 14h que tentamos sem sucesso, depois tem um numero no site 0800 284 3131 que estranhamente e surdamente não entende o numero do telefone com o prefixo da cidade que a gravação pede para digitar, e quem disse que eles estão seguindo as novas regras do telemarketing, é robô atras de robô.

Há pouco menos de 40 minutos minha esposa achou um chat no site, ela abriu o chat e ganhou o numero 67 na fila de espera, depois pediu para que eu ficasse no controle, quando cheguei na posição 55, decidi escrever este post, e agora que estou quase terminando, ainda estou na posição 23. Não pretendo fechar e publicar o post agora, afinal tanto eu, como você meu(minha) caro(a) leitor(a) queremos saber o desfecho destas história não é? Então veja a seguir.

Sinto muito, por hoje não vai dar, por alguma razão inexplicavel a conexão do meu Oi Velox caiu por alguns minutos e perdi meu lugar na fila de espera, que era o sexto lugar já.

Amanhã, se a Oi quiser, eu digo o desfecho desta história.

BlogBlogs.Com.Br

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.